sábado, 18 de abril de 2009

aprender mais sobre a crise da sucessão

Passaram-se os anos. Com a morte de D. Pedro (neto de D.Dinis), sucedeu-lhe no trono seu filho, D. Fernando.
D. Fernando não reinou com tranquilidade. Além das guerras com Castela, preocupava-o o facto de não ter um filho varão que lhe sucedesse. Tinha apenas uma filha, D. Beatriz, que casara com o rei de Castela, e temia que o seu genro se tornasse rei de Portugal. O povo inquietava-se com a ideia de perder a independência ao ter como rei um castelhano.
Foi com tristeza e preocupação que o povo se despediu do seu rei, quando este morreu.
A rainha D. Leonor Teles, viúva de D. Fernando, assumiu a regência de Portugal e, sob a
influência do conde Andeiro, um fidalgo galego, mandou aclamar D. Beatriz como rainha de
Portugal.
Perante esta situação, enquanto a maioria da nobreza estava do lado de D. Leonor e D. Beatriz, o povo revoltou-se.
Com o apoio da burguesia e de alguns nobres organizou-se uma conspiração para derrubar D. Leonor e matar o conde Andeiro. Quem foi escolhido para o fazer foi o Mestre de Avis.
Ao matar o conde de Andeiro no palácio, o Mestre de Avis (D. João) foi aclamado pelo povo como “Regedor e Defensor do Reino”.
D. Leonor fugiu e pediu auxílio ao rei de Castela para que impusesse D. Beatriz como rainha.
Deram-se várias invasões e batalhas, como Atoleiros e Trancoso, o cerco de Lisboa. Quem
comandou as tropas portuguesas foi Nuno Álvares Pereira.
No dia 6 de Abril de 1385, reuniu-se as Cortes de Coimbra para eleger o novo rei. E o Mestre de Avis foi proclamado rei de Portugal, com o nome de D. João I.
O rei de Castela não aceitou esta situação e invadiu Portugal com um poderoso exército. A 14 de Agosto de 1385, travou-se uma terrível batalha entre os portugueses e castelhanos, a batalha de Aljubarrota.
O exército castelhano era muito mais numeroso que o português. No entanto, os portugueses, comandados por D. João I e Nuno Álvares Pereira, usando todo o seu engenho, utilizaram a táctica do quadrado para rodear e derrotar os castelhanos.
Estes, vendo-se cercados, bateram em retirada. Os portugueses tinham vencido.
Com a vitória nesta batalha estava salvaguardada a independência de Portugal.
Para comemorar esta importante vitória e cumprir uma promessa que fizera, o rei D. João I mandou construir o Mosteiro da Batalha.

2 comentários:

sara disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
alcinda leal disse...

Meninos do 4ºB hoje passei por cá!
Quero dar-vos os parabéns pela linda biblioteca da vossa(nossa) escola!
Agora devem aproveitá-la bem porque é um espaço acolhedor e bem equipado!
Beijinhos
Alcinda